A maravilha da Primavera vive em cada uma de nós. A natureza e todos os seus ciclos estão perfeitamente reflectidos em diferentes estágios e instantes das nossas vidas e da vida em geral.

A descoberta da promessa escondida no perfume de uma flor, pode ensinar-nos a desabrochar milagres no jardim da nossa própria existência. Se conseguirmos receber as situações que nos confrontamos com a mesma sede que a Mãe Natureza tem na altura da Primavera, podemos seguramente ter começos férteis.

Esta misteriosa estação pode mostrar-nos o poder oculto do nosso espírito a transformar, a regenerar e a renascer, porque, de acordo com os sábios, não apenas simbolicamente, mas concretamente, a Primavera significa renascimento.

  

Compreender as lições do passado

O novo impulso que a natureza nos proporciona neste momento é uma oportunidade maravilhosa para dissolver a amargura e a tristeza e levar-nos à harmonia. É o momento em que nos podemos concentrar em criar e recriar, em experimentar novas direcções sem medo ou ressentimento.

Tal como uma borboleta só precisa das suas próprias asas para voar livremente, é essencial lembrar sempre, que a nossa felicidade depende apenas de nós mesmas. E ao cultivar a fé e o desapego em tudo o que fazemos, oferecemos e recebemos, torna o nosso voo mais fácil e agradável.

A magia da primavera ajuda-os a sentir a ligações subtis entre o céu e a terra e convida-nos a usá-la como uma escada ascendente que eleva a nossa consciência.

Se consolidarmos toda a nossa força interior e fazermos o esforço para analisar com optimismo a lista dos eventos passados que carregam uma grande carga emocional para nós, podemos encontrar que o que foi bom em cada um deles e que lições nos ofereceram.

Desta forma, podemos sabiamente extrair a mensagem que esses eventos têm para nós e para a nossa vida, compreendendo que a maior parte dos presentes preciosos estão embrulhados em pacotes nada atractivos. Ao seguir estes passos, preencheremos o nosso coração,  aprenderemos gratidão e vemos como merecemos um lugar no céu.

Planta as tuas boas intenções 

O verde fresco da primavera, símbolo da cura e da juventude, derrama a sua energia de luz sobre nós, tornando-nos mais conscientes de tudo o que acontece nas nossas vidas, na natureza e ao nosso redor. A primavera é a época certa para plantar as boas intenções e objetivos dos quais em breve os nossos sonhos mais preciosos crescerão e darão ricos frutos.

O orvalho radiante que acaricia o nosso coração traz-nos alívio e ensina-nos a perdoar. Os raios quentes do sol mostram-nos o caminho para o nosso paraíso interior – aquele espaço sereno onde nos sentimos seguras.

Na paz deste espaço e tempo interior, é ideal confessar as nossas dificuldades e sofrimentos à Divina Mãe e ouvir a voz da Verdade Divina que nos responde.

Estamos prontas para dar e receber os dons que precisamos para curar? Estamos prontas para desistir de tudo que não nos permite seguir em frente? Agora é a hora, só precisamos de usar as ferramentas de luz que a nossa caixa do tesouro já contém.

Segundo a tradição esotérica, a primavera é a estação das mulheres, o período de gestação e procriação que revela o poder da criatividade feminina.

A primavera é o símbolo da Mãe Terra que dá origem a toda a manifestação. A exploração desta época abençoada é um caminho tão profundo quanto a iniciação nos fascinantes segredos das mulheres.

Desfruta da fragrância íntima das flores, ouve o farfalhar dos botões ao desabrocharem, acaricia a relva húmida da floresta com a ponta dos dedos, contempla os desenhos do sol na folhagem das árvores, enfeita o teu corpo com todos esses aromas.

E mantendo este murmúrio de alegria vivo no teu coração, podes aprofundar o teu relacionamento com a tua própria feminilidade e descobrir a vastidão da natureza no teu próprio ser. Tornas-te uma fonte cósmica, uma fonte eterna.

A pura energia da primavera também está presente nos diversos mitos da criação, pois representa o nascimento.

A tradição bíblica conta-nos como Deus moldou o macrocosmo e à sua semelhança o microcosmo, como Ele separou a luz das trevas e deu-nos o Jardim do Éden perfeito.

É por isso que a primavera chega todos os anos? Para nos lembrar para onde devemos voltar?